PARALISIA FACIAL

O que é Paralisia Facial?

Paralisia facial é o termo que designa a paralisia motora parcial ou completa dos músculos da mímica de um lado da face que são inervados pelo nervo facial.

A causa da maioria das paralisias faciais é desconhecida e classificada como idiopática quando são afastadas as outras causas possíveis.

Outras causas são traumas, infecções, tumores ou congênitas. O quadro clínico é caracterizado por perda da movimentação da musculatura da mímica de um lado da face, prejudicando o fechamento palpebral, lacrimejamento e movimentação da boca.

 

Tratamento

O tratamento das sequelas permanentes da cirurgia facial pode ser feito com a aplicação de toxina botulínica no lado não paralisado da face para diminuir a mímica facial mais exuberante e proporcionar maior simetria.

Existem também opções cirúrgicas como microcirurgia para reparo do nervo e suspensão facial.

 

Quais os cuidados pré-operatórios?

O paciente terá todas as orientações por escrito sobre a cirurgia, devendo sempre estar atento ao seu estado geral e comunicar qualquer alteração, como uma gripe, dor de garganta, ardor ao urinar, etc.

Nesse caso, o paciente será avaliado e a cirurgia poderá ser adiada para sua própria segurança. Deve-se prestar atenção ao jejum, caso este seja solicitado, vir acompanhado para a cirurgia e evitar o uso de brincos, anéis, piercings, esmaltes coloridos nas unhas, etc.

O paciente será submetido uma serie de exames pré-operatórios (laboratoriais, Rx e eletrocardiograma) e por avaliações pré-operatórias a depender das condições clínicas.

O uso de algumas medicações como ácido acetil salicílico, ginko biloba ,bufedil, vitamina E , anticoagulantes e fórmulas para emagrecer deverão ser suspensas pelo menos 15 dias antes da cirurgia .

Qualquer medicação usada deve ser informada ao médico, pois várias delas podem causar efeitos colaterais que obrigam à suspensão da cirurgia.

Da mesma forma o tabagismo é altamente indesejável. Serão feitas fotografias pré-operatórias para posterior comparação. 

 

Qual o tipo de anestesia?

Desde que o paciente seja avaliado corretamente os procedimentos anestésicos atuais oferecem baixíssimos riscos de problemas.

De acordo com as possibilidades clínicas e o desejo do paciente, preferimos usar anestesia geral ou anestesia local com sedação profunda.

 

A cirurgia

A ritidoplastia ou lifting facial é realizada através de técnicas que abordam o tratamento da flacidez muscular da face, reposicionamento das estruturas e remoção do excesso de pele através de incisões que se localizam no contorno anterior e posterior das orelhas e dentro do cabelo.

A duração da cirurgia depende de cada caso e da técnica utilizada, mas pode durar 4 horas ou mais.

O paciente sai do centro cirúrgico com curativos e drenos, que deverão permanecer por 24 a 48 horas. O tempo de internação varia de 12 a 24 horas, a depender do tipo de anestesia e conforto do paciente.

 

Cicatrizes

As cicatrizes ficam no contorno das orelhas e dentro do cabelo. As cicatrizes serão permanentes, e vão se modificando com o decorrer do tempo.

Recursos cosméticos como a maquiagem e penteados adequados disfarçam as cicatrizes recentes.

Cada paciente comporta-se diferentemente de outro, em relação à evolução das cicatrizes, podendo, mesmo, em alguns casos, tornar-se imperceptível e em outros podem ter tendência a cicatrizes hipertróficas ou queloide. 

Dor

Após uma cirurgia de lifting facial o paciente poderá ter aumento de sensibilidade em algumas áreas e diminuição da sensibilidade em outras, porém a dor não costuma ser intensa, e pode ser controlada com analgésicos.

Caso ocorra um inchaço repentino e dor no local, entre em contato com o seu médico.

 

Recuperação

O paciente que fez uma ritidoplastia não deverá se expor ao sol por pelo menos 30 dias, a partir de então somente com protetor solar fator 60.

Tomar sol pode marcar permanentemente a cicatriz recente (vermelha) e deverá ser evitado por completo no início, sendo liberado gradualmente e com proteção adequada de acordo com o clareamento (amadurecimento) da cicatriz.

Também recomendamos que não faça esforços físicos nos primeiros 15 dias para evitar formação de hematomas.

Após a cirurgia, o paciente deverá tomar o antibiótico indicado, em geral por 7 dias, além de um anti-inflamatório por 3 dias e um analgésico apenas quando sentir dores.

O primeiro retorno será após 4 dias da cirurgia e, depois, semanalmente para acompanhamento. Ao longo do 1º mês, o paciente deve voltar a realizar as atividades cotidianas, como dirigir (ao redor do 7º dia), caminhar, etc. Exercícios gerais poderão ser liberados após 40 dias.

O organismo passará por diversas fases evolutivas até que se consiga atingir o resultado desejado. Todos os pacientes apresentam em maior ou menor grau edema (inchaço), “manchas” de infiltrado sanguíneo, hipersensibilidade de algumas áreas, insensibilidade de outras, porém a dor não costuma ser intensa neste tipo de cirurgia.

O seu organismo se encarregará de dissipar esses transtornos. O uso de faixa compressiva é feito nos casos em que houve lipoaspiração cervical.

Entre o segundo e o sétimo dia pós-operatório poderão ser lavados e penteados os cabelos (com cautela). Para secá-los, pode-se utilizar secador manual com ar discretamente aquecido. As tinturas geralmente são liberadas após a 4º semana.

Resultado Final

Nos primeiros dias o rosto permanece inchado e com manchas roxas, que desaparecerão gradativamente.

A cicatriz, inicialmente avermelhada, irá clarear e melhorar num tempo variado, chegando ao seu melhor aspecto em geral após 6 meses.

Toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser transmitida ao seu cirurgião, que lhe prestará os esclarecimentos necessários para sua tranqüilidade.

Lembre-se que nenhum resultado de cirurgia de rejuvenescimento facial poderá ser avaliado de pelo menos 6 meses de pós-operatório.

AGENDE SUA CONSULTA

ONDE ESTAMOS

Rua Helena, 218 –Cjto. 703 – Vila Olímpia –   São Paulo – SP 

AGENDE SUA CONSULTA

ONDE ESTAMOS

Rua Helena, 218 –Cjto. 703 – Vila Olímpia –   São Paulo – SP